PORTADORES DE DIVINA COMPAIXÃO – 02

8 abril, 2009

SEMANA PASSADA, APÓS UMA REUNIÃO DE NEGÓCIOS, DECIDI QUE IRIA AO CINEMA “ESPAIRECER MINHAS IDEIAS”. PARA ISSO, DEVERIA PEGAR UM ÔNIBUS ATÉ O SHOPPING CENTER MAIS PRÓXIMO. LOGO AO ME ADENTRAR NO ÔNIBUS, SENTI UMA SENSAÇÃO MUITO RUIM AO PASSAR PELA CATRACA, POIS ME IMAGINEI COMO SENDO UMA CATRACA DE ÔNIBUS SENDO ENCOXADA DE 3 EM 3 MINUTOS POR PESSOAS ESTRANHAS E COM ODORES SUSPEITOS. OU ENTÃO LEVAR BUNDADAS DAQUELES QUE PASSAM NA CATRACA EM MARCHA-RÉ. NAQUELE MOMENTO EU PERCEBI QUE DEVEMOS DAR VALOR À NOSSA VIDA E AO NOSSO TRABALHO DIGNO ACIMA DE QUALQUER COISA. IMAGINEM VOCÊS COMO DEVE SER DESGASTANTE E TERRÍVEL O COTIDIANO DAS CATRACAS DE ÔNIBUS.

catraca

“PASSA LOGO AÍ RAPAI” – DISSE-ME O COBRADOR

NA HORA DE DESCER, QUASE CHOREI AO TER QUE PUXAR A CORDINHA DE SOLICITAÇÃO DE PARADA, POIS ME VEIO À CABEÇA QUE A ÚNICA UTILIDADE DESTA CORDA É SER PUXADA O TEMPO TODO POR MÃOS MUITAS VEZES CALEJADAS E COM MICOSES. NESSE MOMENTO EU SENTI MUITO POR AQUELA CORDINHA, POIS TENHO CERTEZA DE QUE CORDINHAS DE ÔNIBUS TÊM MUITO MAIS A OFERECER AO SER HUMANO DO QUE SEREM SIMPLES OBJETOS A SEREM PUXADOS O TEMPO TODO.

POR FIM, CHEGOU A HORA DA MINHA SESSÃO. ENTREI NA SALA ANTECIPADAMENTE, PARA GARANTIR UM LUGAR MAIS PRÓXIMO, MAIS ACONCHEGANTE, E QUE ME OFERECESSE MELHOR VISÃO DO ESPETÁCULO (FILME). ANTES DE ME SENTAR, FIXEI MEUS OLHOS SOBRE A CADEIRA ESCOLHIDA E IMAGINEI O SOFRIMENTO DESSAS CADEIRAS AO SEREM SENTADAS O TEMPO INTEIRO PELOS MAIS VARIADOS TIPOS DE BUNDAS. E PIOR, IMAGINEI A QUANTIDADE DE PESSOAS QUE EXPELEM FLATULÊNCIAS DOS MAIS VARIADOS ODORES SOBRE ESSAS CADEIRAS. APÓS REFLETIR MUITO E SER ATINGIDO POR ALGUMAS PIPOCAS, DECIDI ME SENTAR E ASSISTIR AO FILME. USEI AQUELA CADEIRA INOCENTE DE MANEIRA TÃO CRUEL QUE, AO CHEGAR EM CASA, ME ACABEI EM LÁGRIMAS FEITO UMA CRIANÇA SEM SEM SEU BRINQUEDO, SEM SUA CHUPETA, SEM SUA MAMADEIRA, SEM SUA MÃE.

Daniel


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 40 outros seguidores